Tudo começa com o significado de uma palavra, depois de outra e mais outra. E já conhecemos três palavras. Isso já o suficiente para fazermos uma frase, em qualquer língua, em qualquer cultura, de qualquer nação ou tribo do mundo.

Falar inglês, ou qualquer segunda língua, não é fácil. Precisa esforço, sim. Não existe fórmula mágica. Precisa de tempo, dedicação, memória e treino.

Para treinar, precisamos de coragem para falar. Precisamos vencer o medo de errar. Precisamos arriscar no começo, e precisamos de constância.

Enfim, são necessárias muitas ‘coisas’ para conseguirmos falar inglês, ou qualquer outra língua.

Contudo, é possível.

Falando os pensamentos

Para facilitar ao máximo o entendimento do que é a linguagem, dividimos tudo o que pensamos, todas nossas ideias e frases, em apenas 5 (cinco) setores:

  1. Pessoas
  2. Coisas
  3. Situações
  4. Lugares
  5. Quando

Tudo o que sentimos, lembramos ou criamos, está sempre representando algum destes setores. Pegue a gramática e confira você mesmo.

Você verá que a grande maioria das classes gramaticais estarão relacionadas às situações, que representam tudo o que acontece no mundo. Contudo, não faltarão as classes gramaticais que também dão nomes para as pessoas, coisas, para o espaço e para o tempo em que as situações ocorrem.

Sendo assim, usaremos neste método, este tipo de divisão, e não a costumeira nomenclatura gramatical.

Citaremos sim, o que é pronome, verbo, adjetivo e todas outras classes, mas apenas como complemento de informação.

O JOGO FALINGLES é basicamente, um exercício de tradução a partir de um tabuleiro colorido como temos acima. Este painel, é de um capítulo do nível intermediário, com traduções em português ainda.

Exemplo:

Por que você tem que beber água no banheiro hoje?

Tradução correta para o inglês: Why do you have to drink water in the bathroom today?

Nosso norte, será a visão simplificada da linguagem.

Assim, nós economizaremos memória para mais palavras e frases na nova língua que aprenderemos.

Pelo menos 1.500 palavras

Para falarmos outra língua, precisamos de:

  1. pelo menos 1.500 (mil e quinhentas) palavras
  2. saber bem como usá-las
  3. usá-las com certa frequência para não esquecermos delas

Depois deste vocabulário mínimo e capacitação para se comunicar nesta outra língua, qualquer pessoa já é capaz de seguir seu caminho sozinha.

Gradativamente, pelo impulso da curiosidade e pelas circunstâncias da vida, sempre aprendemos mais palavras e expressões, e assim, vamos aumentando nosso conhecimento e aptidão na língua.

Anúncios

Escrito por Paul Sampaio

PAUL SAMPAIO CHEDIAK ALVES é professor, locutor, apresentador de rádio e TV, web designer e diretor fundador da REDE SAMPAIO de Televisão e Sites.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s